selo-branco

Projeto Com Tato

Instituto Fazendo História

Instituto Fazendo História
www.fazendohistoria.org.br

133

crianças e adolescentes beneficiados.

São-Paulo-(SP)

Faixa etária

De 3 anos a 17 anos e 11 meses;

Diagnósticos das crianças e dos adolescentes atendidos

Transtorno de ansiedade, depressão, automutilação e ideação suicida (tentativa);

Resumo do projeto

O projeto oferece atendimento psicoterapêutico, nas modalidades individual e familiar, às crianças e aos adolescentes que estão e/ou estiveram em acolhimento institucional, por meio de profissionais psicólogos voluntários.

Metodologia

A captação e seleção dos psicólogos e supervisores clínicos voluntários é feita em um processo contínuo durante o ano. Após a escolha dos psicólogos, dá-se início aos atendimentos clínicos das crianças e adolescentes em seu consultório. Todos os psicólogos voluntários participam, a cada semestre, de encontros temáticos formativos.

A abordagem utilizada pelos psicólogos é a psicanálise. O dia e horário é agendado com a equipe da Casa de Acolhimento. O atendimento segue pelo tempo que for necessário a criança e/ou adolescente, mesmo que ela seja desabrigada. Todos os atendimentos são acompanhados por um supervisor clínico voluntário e os casos são discutidos semanalmente em grupos com até quatro psicólogos. Dessa forma, os psicólogos têm suporte para aprimorar as suas intervenções e a qualidade dos atendimentos clínicos.

Quando identifica melhoras no quadro diagnosticado, a criança e/ou adolescente recebe alta clínica e o psicólogo fica disponível para atender um novo caso. Quanto ao atendimento as famílias, são agendados encontros e conversas com o psicólogo voluntário para o atendimento conjunto (criança e/ou adolescente e família), que é essencial às famílias que apresentam dificuldades no resgate dos vínculos rompidos.

Resultados

  • 95% das crianças e dos adolescentes vêm apresentando melhoras nos quadros de depressão e ansiedade vivenciados;
  • 47,7% das crianças e dos adolescentes estão em atendimento há pelo menos um ano;
  • 18,2% das crianças e dos adolescentes continuam em atendimento depois da reintegração familiar ou adoção;
  • 75% das crianças e dos adolescentes são assíduos à terapia;
  • 68,2% das crianças e dos adolescentes reconhecem a terapia como espaço efetivo de reflexão sobre a própria história;
  • 72,7% das crianças e dos adolescentes estabelecem vínculo forte ou muito forte com os psicólogos.

Galeria de imagens