Projeto Alvorada

Alvorada Associação Amigos de Boa Vontade

Alvorada Associação Amigos de Boa Vontade
www.crechealvorada.org

132

crianças e adolescentes beneficiados.

Ribeirão-Preto-(SP)

Faixa etária

De 6 anos a 17 anos e 11 meses;

Diagnósticos das crianças e dos adolescentes atendidos

Transtornos de ansiedade, depressão, automutilação e tentativa de suicídio;

Resumo do projeto

O projeto oferece atividades socioeducativas como a prática da meditação, yoga, judô, circo e música clássica (composição da orquestra infantojuvenil), com o intuito de estimular a participação autônoma, a socialização e a boa autoestima dos atendidos. O projeto também promove ações para identificar e evitar o agravamento de problemas de saúde mental, por meio dos atendimentos psicossocial em grupo e individual – caso necessário – da equipe técnica: psicólogos e assistentes sociais.

Metodologia

A criança e o adolescente encaminhado pela rede socioassistencial e/ou por demanda espontânea, é recebida no acolhimento pelo psicólogo do projeto. Nesse momento é feita uma abordagem de escuta com a criança e/ou adolescente para traçar o seu itinerário nas ações do projeto (plano de acompanhamento).

Com o plano elaborado, a criança e/ou adolescente inicia o seu atendimento participando das atividades pedagógicas, que são aplicadas a partir da abordagem sistêmica (indivíduo e seu contexto social, corpo e mente). A oficina de arte circense por meio dos exercícios (tecido e trapézio) estimula a criança e/ou adolescente a superar as suas limitações, os seus medos, ganhando autoconfiança. Na oficina Sementes do Amanhã traz a prática da meditação como forma de autoconhecimento e equilíbrio.

Em paralelo a sua participação nas atividades pedagógica, a criança e/ou adolescente também é acompanhado pela equipe técnica do projeto (assistente social e psicólogo) que tem o papel de monitorar o seu desenvolvimento mental e identificar qualquer problema que necessite de intervenção terapêutica, quando identificado o atendido é encaminhado para rede de saúde local (CAPS Infantil). Diante da grande demanda recebida, o CAPS I não consegue atender todos os casos, sendo assim o projeto estabeleceu parcerias com universidades (departamento de psicologia) e psicólogos voluntários que realizam os atendimentos clínicos terapêuticos as crianças e adolescentes do projeto. O psicólogo do projeto realiza o acompanhamento de todos os atendidos que iniciam o tratamento clínico.

Quanto às famílias, essas são acompanhadas pelo assistente social e psicólogo do projeto por meio de visitas domiciliares e atendimentos em grupo que acontecem quinzenalmente.

Resultados

  • Diminuição de conflitos e agressões físicas;
  • Aumento e fortalecimento da autoestima e potencialização nas relações interpessoais;
  • Melhora nas relações familiares.

Resultados

  • Diminuição de conflitos e agressões físicas;
  • Aumento e fortalecimento da autoestima e potencialização nas relações interpessoais;
  • Melhora nas relações familiares.

Galeria de imagens